Seguidores

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Os olhos de quem ve
Um dia, um pai de família rica, grande empresário, levou seu filho para viajar até um lugarejo com o firme propósito de mostrar o quanto as
pessoas podem ser pobres.

O objetivo era convencer o filho da necessidade de valorizar os bens materiais que possuía, o status, o prestígio social; o pai queria desde
cedo passar esses valores para seu herdeiro.

Eles ficaram um dia e uma noite numa pequena casa de taipa, de um morador da fazenda de seu primo...

Quando retornavam da viagem, o pai perguntou ao filho:

- E aí, filhão, como foi a viagem para você?

- Muito boa, papai.

- Você viu a diferença entre viver com riqueza e viver na pobreza?

- Sim pai! Retrucou o filho, pensativamente.

- E o que você aprendeu, com tudo o que viu naquele lugar tão paupérrimo?

O menino respondeu:

- É pai, eu vi que nós temos só um cachorro em casa, e eles têm quatro.

Nós temos uma piscina que alcança o meio do jardim, eles têm um riacho que não tem fim.

Nós temos uma varanda coberta e iluminada com lâmpadas fluorescentes e eles têm as estrelas e a lua no céu.

Nosso quintal vai até o portão de entrada e eles têm uma floresta inteirinha.

Nós temos alguns canários em uma gaiola eles têm todas as aves que a natureza pode oferecer-lhes, soltas!

O filho suspirou e continuou:

- E além do mais papai, observei que eles oram antes de qualquer refeição, enquanto que nós em casa, sentamos à mesa falando de negócios,
dólar, eventos sociais, daí comemos, empurramos o prato e pronto!

No quarto onde fui dormir com o Tonho, passei vergonha, pois não sabia sequer orar, enquanto que ele se ajoelhou e agradeceu a Deus por tudo,
inclusive a nossa visita na casa deles. Lá em casa, vamos para o quarto, deitamos, assistimos televisão e dormimos.

Outra coisa, papai, dormi na rede do Tonho, enquanto que ele dormiu no chão, pois não havia uma rede para cada um de nós.

Na nossa casa colocamos a Maristela, nossa empregada, para dormir naquele quarto onde guardamos entulhos, sem nenhum conforto, apesar de termos camas macias e cheirosas sobrando.

Conforme o garoto falava, seu pai ficava estupefado, sem graça e envergonhado.

O filho na sua sábia ingenuidade e no seu brilhante desabafo, levantou-se, abraçou o pai e ainda acrescentou:

- Obrigado papai, por me haver mostrado o quanto nós somos pobres!


MORAL DA HISTÓRIA:

Não é o que você tem, onde está ou o que faz, que irá determinar a sua felicidade; mas o que você pensa sobre isto! Tudo o que você tem, depende da maneira como você olha, da maneira como você valoriza. Se você tem amor e sobrevive nesta vida com dignidade, tem atitudes positivas e partilha com benevolência suas coisas, então... Você tem tudo!
Os últimos três desejos de Alexandre, o Grande
Um belo texto para você refletir.
Conta-se que quando estava à beira da morte, Alexandre, o Grande convocou os seus generais e relatou seus 3 últimos desejos:
1-) Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;
2-) Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas);
3-) Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão: à vista de todos.
Um dos seus generais, admirado com esses desejos incomuns, perguntou a Alexandre quais as razões para tal desejo. Alexandre explicou:
1-) Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;
2-) Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3-) Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

''A oração ''

Introdução
Porque oramos e muitas das vezes não somos respondidos?
Essa é uma pergunta quase que diária de muitos crentes que conheço,li um artigo a pouco tempo que me esclareceu muitas coisas a respeito de orações não respondidas e algo me chamou muita atenção:Como Deus responderá se pedimos mal,ou não seguimos aquilo que ele quer de nós?
1:Vida no altar
Tantas petições temos feito,mas muitas vezes sem observar se somos dignos de alcançar favor divino.A misericórdia do Senhor é eterna Sal:100.5.Mas somos dignos de misericórdia? O Senhor não muda,temos dito a nós mesmos o Senhor é misericórdia,mas esquecemos que ele também é justiça Sal:119.137 Justo és ó Senhor.Justiça sim de quem o ama e guarda no coração o seu desejo.Desejo de trabalhar pra Deus sem olhar as coisas que Ele pode nos dar e Ele tem poder pra muito mais que pedimos ou imaginamos,mas temos que estar com a vida no altar.Altar de Deus para alcançarmos coisas maiores,não carnais ,nem materiais ,chamo a atenção de vcs queridos para as coisas espirituais que ninguém pode vos tomar se tiverem uma vez em vossa mãos.
Sabe qual éo teu maior inimigo?Vc mesmo,porque quando satanás vem nos afrontar temos de confiar e estar no altar,num lugar alto onde o inimigo não pode nos alcançar.Estou dizendo que vcs não terão lutas pelo contrário,ninguém está isento de dificuldades,mas quando estamos ao lado do Senhor Jesus tudo muda até as lutas,o que era ímpossivel torna-se possivel,e o que era intransponível conseguimos atravessar.
2:A oração correta
Lute para vencer,orando de maneira correta vc orara com qualidade e por prazer não por necessidade humana,mas espiritual.Sal:66.18 Se atendermos a iniquidade em nosso coração o Senhor não nos ouvirá:Então atentemos para uma oração de vitória ,não de lamurias e queixas ,mas com fervor e amor e atendermos aquilo que é de Deus,limpando o coraçaõ e assim fazer a oração que abre cadeias.Que Deus vos abençoe em nome de Jesus e orem limpos e com fé paz e graça a todos